Alimentação na gestação

Conforme falado em publicação anterior, as demandas de nutrientes aumentam durante a gestação. Sendo assim, o acompanhamento nutricional antes, durante e depois da gestação é extremamente importante para minimizar os sintomas como azia, náuseas e cansaço, bem como os riscos aos quais mãe e bebê podem estar expostos todos os dias.

A necessidade de energia aumentada acontece para dar suporte a vários processos, como aumento do volume sanguíneo materno, formação e crescimento dos órgãos do bebê, desenvolvimento das glândulas mamárias e crescimento do útero, por exemplo.

A necessidade de energia é individual e depende do peso da mãe antes de engravidar, chamado peso pré-gestacional, do IMC (índice de massa corporal), do peso no atual no estágio da gestação, da idade materna e nível de atividade física, por exemplo.  Além disso, se faz igualmente importante que a mulher esteja em um ambiente saudável, com assistência emocional, sem estresse e com ciclo de sono regulado!

A alimentação da mulher deve ser variada!  É importante que a alimentação seja à base de alimentos in natura e equilibrada, sem esquecer da adequada ingestão de água. Dessa maneira, se torna possível boa ingestão de fibras, nutrientes antioxidantes e anti-inflamatórios, que são essenciais à gestação saudável. Mas, lembre-se, cada gestação é única e exigem necessidades individuais e especiais.

Preferencialmente, o auxílio nutricional deve ocorrer antes da gestação, para que a mulher chegue na gestação com suas reservas de nutrientes em dia. Desse modo, garante que mãe e bebê estejam bem nutridos e reduzem as chances da mãe e bebê sofrerem algum tipo de carência nutricional.

Importante lembrar que o auxílio médico também é fundamental para o acompanhamento da gestação, observando o crescimento do bebê e a saúde da mãe para o parto!

Com carinho,

Quando Eu Crescer Brasil…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Síndrome de Burnout Materno – Parte 1

Você já ouviu falar sobre a Síndrome de Burnout parental ou materno? Provavelmente não, mas talvez você já tenha escutado falar sobre a Síndrome do esgotamento emocional, cuja principal característica

Síndrome de Burnout Materno – Parte 2

No post anterior conhecemos a Síndrome de Bornout materna e suas manifestações. Nesse post abordaremos suas consequências. Como consequência desse esgotamento observa-se um maior distanciamento afetivo dos filhos. Muito cansadas,

A importância da Nutrição durante a gestação

Durante a gestação, a saúde e alimentação da mãe podem influenciar diretamente na saúde do bebê, portanto, são aspectos que devem ser promovidos antes mesmo da gravidez! E ai, surgem