Alimentos controversos na Introdução Alimentar

Alguns alimentos são bastante controversos quando estamos falando de Introdução Alimentar. Abaixo fizemos uma listinha desses possíveis alimentos:

Sal: O consumo de sal é importante para o funcionamento do organismo de uma maneira geral, porém em excesso pode desencadear em hipertensão e outros agravos. Assim, para reduzir o seu consumo, recomenda-se que sejam utilizados outros temperos, como alho, cebola, coentro, alecrim, salsa, cebolinha, manjericão, folha de louro, limão e hortelã.

Mel: O consumo de mel deve ser evitado no primeiro ano de vida, por ser uma potencial fonte de contaminação por esporos da bactéria de Clostridium botulinum. Essa contaminação leva a um risco de transmissão do botulismo, sendo que as toxinas liberadas por essa bactéria podem desencadear em diversos sintomas e desconfortos e até mesmo levar à morte.

Açúcar: Segundo as recomendações atuais não se recomenda o consumo de açúcar e de preparações que o contenha para crianças menores de 2 anos. Após essa idade, a ingestão deve ser evitada sempre que possível.

Leite e derivados: Os lácteos devem ser oferecidos a criança a partir do primeiro ano de vida, quando seus sistemas gastrointestinal e renal estão mais maduros. Procure um profissional da área materno infantil para lhe auxiliar na escolha desses produtos.

Ovo: Nas novas recomendações, o ovo totalmente cozido pode ser oferecido a partir do sexto mês de idade, podendo reduzir o risco futuro de alergia, porém o ideal é que a introdução do ovo seja feita em acompanhamento com o nutricionista e sempre supervisionada.

A Introdução Alimentar gera muitas dúvidas e é um momento crucial para a formação dos hábitos alimentares das crianças, por isso, na dúvida, procure um profissional especializado que poderá te auxiliar nesse momento tão lindo!

Com carinho,

Quando Eu Crescer Brasil…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Amamentação em tempos de COVID-19

As evidências relacionadas à amamentação sob diagnóstico de COVID-19 até o momento são escassas, pois trata-se de um novo vírus (SARS-CoV2) que, conforme a ciência evolui vai dando forma às

Nutrição e o Direito Fundamental à Alimentação

O Direito Humano à Alimentação Adequada é um direito básico que fora reconhecido no Pacto Internacional de Direitos Humanos, Econômicos, Sociais e Culturais. Além disso, desde o ano de 2010,

A Alimentação Complementar

 Antes de discutirmos alguns pontos essenciais para cada etapa da alimentação complementar, devem ser aplicados dois segredos-chave nesse processo: planejamento e paciência. Lembrando que as mudanças devem acontecer de forma lenta e gradual,