Interferências ambientais para a fertilidade masculina

Você sabia que a infertilidade afeta uma parcela muito significativa da população adulta?

Aproximadamente 48,5 bilhões de casais no mundo podem ser inférteis.  Determina-se infertilidade quando, após um ano de tentativa, o casal não consegue engravidar. Nesse cenário, a saúde da mulher torna-se alvo de terapias como possível causa da não gravidez. Porém, precisamos ter em mente que problemas relacionados à saúde do homem correspondem à 60% dos casos. Além de fatores genéticos, outros motivos levam à essa condição. Gostaríamos que você conhecesse alguns deles:

  • Sobrepeso e obesidade:  o aumento do peso, diminui a fertilidade masculina. Isso acontece porque o excesso de peso causa um processo inflamatório crônico, que reduz os parâmetros de qualidade do sêmen. Também existe uma relação de disfunção hormonal, associada ao aumento de hormônios produzidos pelo tecido adiposo.
  • Estresse psicológico: O fato do casal não obter sucesso em suas tentativas é um processo estressante e que pode ter efeitos negativos na vida diária. Nos homens, este fator se relaciona com ansiedade e depressão. Nesse caso, o fator estressor age no Sistema Nervoso Central provocando, dentre outras alterações hormonais, queda na produção de testosterona e diminuição do número de espermatozóides.
  • Xenobióticos: Uma questão que merece destaque é a exposição aos xenobióticos, que são substâncias que ao entrarem no organismo, causam diversas disfunções no organismo.  São exemplos:
    1. Metais pesados: O metal arsênico, presente em herbicidas usados no solo e na produção de alimentos, é reconhecido como uma das toxinas mais poderosas do mundo. No corpo humano, é responsável pelo estresse oxidativo nas células. Desse modo, nos homens, interfere no processo de produção das células germinativas, e causa aumento de espermatozoides com anomalias. A literatura sugere que os casos de infertilidade masculina sejam de 30 a 80% causados pelo aumento do estresse oxidativo.
    2. Pesticidas: Um dos xenobióticos mais estudados, atua como desruptor endócrino, causando alterações nas características masculinas durante o desenvolvimento fetal e interfere na fertilidade na vida adulta.   Um estudo feito nos EUA com 155 homens constatou que o consumo superior a 1,5 porções de alimentos contendo pesticidas, se relacionaram com 49% menos espermatozoides e 32% morfologicamente alterados.
    3. Bisfenol A: É um dos materiais usados para a produção de plástico, reconhecido como contaminante ambiental. Sugere-se a sua associação com uma variedade de disfunções reprodutivas, ocasionando em perda da qualidade do sêmen, alterando a morfologia do espermatozoide e impactando na gestação!

Além destes, existem comprovações de que álcool, tabagismo, atividade física extenuante e até mesmo uso de celulares e rede wi-fi interferem, aumentando as chances de infertilidade nos homens.

Com carinho,

Quando Eu Crescer Brasil…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Nutrientes associados à saúde fértil da mulher

A nutrição é extremamente importante para otimizar a fertilidade feminina e auxiliar na efetividade do tratamento da fertilidade. Atualmente, os casos de infertilidade feminina crescem de maneira expressivamente preocupante. Isso

Programação Metabólica – você sabe o que é?

Você sabia que uma alimentação inadequada pode levar à infertilidade, como também consequências para o desenvolvimento do bebê durante e após o nascimento? Já ouviu falar em programação metabólica? Programação